Mostrando postagens com marcador #Bíblia. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador #Bíblia. Mostrar todas as postagens

02/05/2017

O Testamento de Salomão




Testamento de Salomão, filho de Davi, que era o rei em Jerusalém, e masterizado e controlados todos os espíritos do ar, na terra, e debaixo da terra. Por meio deles também operou todas as obras transcendentes do Templo. Contando também das autoridades que exercem contra os homens, e por que esses demônios são anjos reduzido a nada. 



Do sábio Salomão. 



Bendito és tu, ó Senhor Deus, que fizeste dar Salomão essa autoridade. Glória a ti e poder até o idades. Amen. 



2. E eis que, quando o Templo da cidade de Jerusalém estava sendo edificada, e os artífices foram trabalhando na mesma, o demônio veio Ornias entre eles em direção do sol, e ele tirou a metade do salário de o rapaz chefe idealizador do (?) pouco, assim como metade da sua comida. 





Ele também continuou a chupar o polegar do seu direito entregar todos os dias. E o menino crescia fina, embora ele foi muito amado pelo rei. 



3. Então o rei Salomão chamou o menino um dia, e questionou-o, dizendo: "Não te amo mais que tudo os artesãos que trabalham no Templo de Deus? Não te darei o salário de casal e um duplo de abastecimento








leia mais...

O Vaticano removeu 14 livros da Bíblia em 1684?

Normalmente, quando a Bíblia é educada em uma conversa, o que vem à mente é uma fonte de verdade que não foi adulterada. No entanto, quando este livro foi originalmente publicado, ele continha 80 livros e edições atuais têm apenas 60, e temos que saber o propósito exato da remoção de 14 livros serviria? A Igreja do Vaticano ou igreja católica romana tem sido associada com a decepção para as idades....
CONTINUE LENDO...
leia mais...

19/02/2017

Milagres em religiões, saiba mais sobre estes ditos milagres

como-ser-amigo-de-deus


A ATENÇÃO de certo homem foi logo atraída por um adesivo no pára-choque de um carro que dizia: “Milagres Acontecem — Pergunte aos Anjos.” Embora ele fosse religioso, ficou na dúvida sobre o que aquilo queria dizer. Será que o adesivo indicava que o motorista acreditava em milagres? Ou era um comentário sarcástico para indicar que não acreditava nem em milagres nem em anjos?


Talvez lhe interesse saber o que o autor alemão Manfred Barthel observou:

“Milagre é uma palavra que logo divide os leitores em dois campos opostos.” Os que acreditam em milagres estão convencidos de que eles não apenas acontecem, mas acontecem com freqüência.* Por exemplo, relata-se que na Grécia durante os últimos anos, muitos alegam que milagres acontecem, em média, uma vez por mês. Isso levou certo bispo da Igreja Ortodoxa Grega a advertir: “Os que acreditam em milagres têm a tendência de atribuir a Deus, a Maria e aos santos características humanas. Tais devotos não deveriam exagerar nessa questão.”

Em alguns países não é muito comum acreditar em milagres. Segundo certa pesquisa realizada na Alemanha em 2002, 71 % dos cidadãos consideravam os milagres como ficção, não como fato. Menos de um terço acreditava em milagres e, entre esses, havia três mulheres que afirmavam ter recebido uma mensagem da Virgem Maria. Poucos meses depois de Maria ter supostamente aparecido a elas — acompanhada de anjos e uma pomba — o jornal alemão Westfalenpost informou: “Até agora, cerca de 50 mil peregrinos em busca de cura, bem como curiosos, têm mostrado interesse especial nas visões dessas mulheres.” E mais 10 mil são esperados no povoado na expectativa de outras aparições. Dizem que a Virgem Maria apareceu também em Lourdes, França, em 1858 e em Fátima, Portugal, em 1917.


Que dizer das religiões não-cristãs


A crença em milagres é encontrada em quase todas as religiões. The Encyclopedia of Religion (Enciclopédia da Religião) explica que os fundadores do budismo, do cristianismo e do islamismo tinham conceitos diferentes sobre milagres, mas observa: “A história posterior dessas religiões demonstra, sem sombra de dúvidas, que milagres e relatos sobre milagres têm sido parte integrante na vida religiosa do homem.” Essa obra de referência diz que “o próprio Buda algumas vezes realizou milagres”. Mais tarde, quando “o budismo foi levado para a China, seus missionários muitas vezes demonstraram poderes milagrosos”.


Depois de se referir a esses supostos milagres, essa enciclopédia conclui:
“Nem todos estão preparados para aceitar todas essas histórias sobre milagres contadas por biógrafos religiosos mas, sem dúvida, elas foram criadas com a boa intenção de glorificar o Buda, que foi capaz de dotar seus zelosos seguidores desses poderes milagrosos.” 

A mesma fonte diz sobre o islamismo: “A maior parte da comunidade islâmica nunca deixou de esperar milagres. Maomé é apresentado nas tradições (hadīths) como alguém que realizou milagres em público em muitas ocasiões.  . . . Acredita-se que mesmo depois que os santos morrem, realizam milagres na própria sepultura em favor dos fiéis, e muitos invocam com fé a intercessão deles.”


Que dizer dos milagres no cristianismo?


Muitos dos que defendem o cristianismo estão divididos em suas opiniões. Alguns aceitam como fatos os relatos bíblicos sobre os milagres realizados por Jesus ou pelos servos de Deus dos tempos pré-cristãos. No entanto, muitos concordam com o Reformador protestante Martinho Lutero. Sobre ele, The Encyclopedia of Religion diz: 

“Tanto Lutero como Calvino escreveram que a era dos milagres findou e, por isso, as pessoas não deviam mais esperar que eles ocorressem.” 

A Igreja Católica sustentou sua crença em milagres “sem tentar explicar como eles aconteceram”, diz essa obra de referência. Contudo, 

“a comunidade protestante acadêmica chegou à conclusão de que a prática do cristianismo era, principalmente, uma questão de moralidade, e que nem Deus nem o mundo espiritual se comunicavam ou influenciavam de forma significativa o dia-a-dia do ser humano”.
Outros professos cristãos, incluindo alguns clérigos, duvidam que os milagres mencionados na Bíblia tenham sido reais. Por exemplo, tome o caso do espinheiro ardente, mencionado na Bíblia em Êxodo 3:1-5. O livro What the Bible Really Says (O Que a Bíblia Realmente Diz) explica que vários teólogos alemães não acham que o relato seja de um milagre literal. Em vez disso, eles o interpretam como “um símbolo da luta interior de Moisés contra sentimentos de remorso e intensa dor de consciência”. O livro ainda diz: “As chamas também podem ser vistas como sendo flores que desabrocham repentinamente diante da luz da presença divina, comparada ao Sol.”

Talvez essa explicação não o satisfaça. Então, em que deveria acreditar? Será que é realístico acreditar que os milagres realmente aconteceram? E que dizer dos milagres atuais? Visto que não podemos perguntar aos anjos, a quem podemos perguntar?


O conceito da Bíblia


Ninguém pode negar que a Bíblia relata que, no passado, Deus realizou atos humanamente impossíveis. Lemos sobre ele: “Passaste a tirar teu povo Israel da terra do Egito, com sinais e com milagres, e com mão forte e com braço estendido, e com coisa muito espantosa.” ( Jeremias 32:21) Imagine, a nação mais poderosa daquele tempo foi humilhada por meio de dez pragas enviadas por Deus, o que incluiu a morte do primogênito da nação. Realmente, foram milagres! — Êxodo, capítulos 7 a 14.

Séculos mais tarde, os escritores dos quatro evangelhos descreveram cerca de 35 milagres realizados por Jesus. De fato, tais narrativas sugerem que ele tenha realizado muito mais milagres do que os que foram mencionados. São esses relatos fatos ou ficção?# — Mateus 9:35; Lucas 9:11.

Se a Bíblia é o que ela afirma ser — a Palavra de Deus — então você tem um forte motivo para acreditar nos milagres registrados nela. A Bíblia é clara ao mencionar que no passado ocorreram milagres — curas, ressurreições e coisas assim. Mas ela também é clara em dizer que esses milagres não ocorrem mais. (Veja o quadro “Por que alguns milagres não ocorrem mais”.) Sendo assim, será que os que acreditam na Bíblia não acreditam que hoje em dia ocorram milagres?





*  A palavra “milagre”, usada neste artigo, é definida da seguinte forma por um dicionário bíblico: “Efeitos no mundo físico, que ultrapassam todos os poderes humanos ou naturais conhecidos, e que, portanto, são atribuídos a uma causa sobrenatural.”





Jhero 

leia mais...

14/02/2017

As feras do Apocalipse, o que significam? saiba!

Apocalipse
Alguns comentadores da Bíblia não vêem nenhum significado profético nas feras do livro de Apocalipse. Em vez disso eles as aplicam a acontecimentos ocorridos enquanto o apóstolo João ainda vivia. Por exemplo, A Enciclopédia Católica, em inglês, tratando das feras do Apocalipse, diz: “Era costume dos escritores apocalípticos . . . moldar suas visões em forma de profecias e dar-lhes a aparência de serem a obra de uma época anterior.” Mas o apóstolo João declarou: “Por inspiração, vim a estar no dia do Senhor.” (Apocalipse 1:10) Sim, o livro de Revelação enfoca não a história passada, mas, sim, um “dia” futuro, em que o Senhor Jesus Cristo começaria a governar desde o céu. Segundo o capítulo 6 de Apocalipse, o “dia do Senhor” é assinalado por guerra mundial, ampla escassez de alimentos e doenças mortíferas. Os eventos presenciados na terra durante este século 20 são prova convincente de que vivemos “no dia do Senhor” desde 1914. — Apocalipse 6:1-8.
Naquele ano histórico, Jesus Cristo iniciou seu Reinado. (Revelação 11:15, 18) Portanto, as feras do Apocalipse devem ter destaque depois daquela data. De fato, essas feras retratam inimigos de Deus, que impedem as pessoas de encarar o Reino de Deus como o único arranjo que satisfará o desejo de paz da humanidade. Esses inimigos incluem um dragão e três feras. Examinemo-los na ordem em que aparecem.
O Grande Dragão
“Eis”, exclamou João, “um grande dragão cor de fogo, com sete cabeças e dez chifres”. O que representa este grande dragão? O próprio João explica que representa nada menos do que o próprio Satanás, o Diabo. De acordo com a visão de João, este dragão se opôs ferozmente ao nascimento do Reino celestial de Deus em 1914. Com que resultado? “Assim foi lançado para baixo o grande dragão, a serpente original, o chamado Diabo e Satanás, que está desencaminhando toda a terra habitada; ele foi lançado para baixo, à terra, e os seus anjos foram lançados para baixo junto com ele.” — Apocalipse 12:3, 7-9.
João mostra que isso teria um efeito terrível sobre a humanidade. “Ai da terra e do mar, porque desceu a vós o Diabo, tendo grande ira, sabendo que ele tem um curto período de tempo.” (Apocalipse12:12) Satanás, embora restrito à vizinhança da terra, ainda está determinado a interferir no Reino estabelecido de Deus. Faz isso por desencaminhar a humanidade, usando três feras. Considere como João descreve a primeira delas.
A Fera do Mar
“Eu vi ascender do mar uma fera, com dez chifres e sete cabeças. . . Ora, a fera que vi era semelhante a um leopardo, mas os seus pés eram como os dum urso, e a sua boca era como a boca dum leão. E o dragão deu à fera seu poder e seu trono, e grande autoridade. — Apocalipse 13:1, 2.
O que representa este animal monstruoso? João, sob inspiração, fornece esta importante chave: “Foi-lhe dada autoridade sobre toda tribo, e povo, e língua, e nação.” (Apocalipse 13:7) Quem é que exerce autoridade sobre toda pessoa vivente na terra? Apenas uma coisa: o sistema mundial de governo político. Recebe este sistema realmente autoridade do “dragão”, Satanás? A Bíblia responde que sim. Por exemplo, o apóstolo João disse: “O mundo inteiro jaz no poder do iníquo.” Não é de admirar que Satanás, ao tentar Jesus no ermo, lhe oferecesse autoridade sobre “todos os reinos da terra habitada” e afirmasse: “Esta autoridade . . . me foi entregue.” — 1 João 5:19; Lucas 4:5, 6.
No entanto, o que é representado por aquelas sete cabeças? Mostrou-se a João outra fera monstruosa, que virtualmente era a imagem desta anterior. Também tinha sete cabeças. As cabeças da imagem foram explicadas como representando “sete reis”, ou potências mundiais, dos quais “cinco já caíram, um é, o outro ainda não chegou”. (Apocalipse 17:9, 10) Na história bíblica, antes dos dias de João, haviam surgido cinco potências mundiais: Egito, Assíria, Babilônia, Medo-Pérsia e Grécia. Roma, a sexta, ainda exercia poder quando João vivia.
Mas quem era a sétima cabeça? Já que a visão tinha que ver com o “dia do Senhor”, deve referir-se à potência mundial que ocupa a posição de poder de Roma nestes últimos dias desde 1914. A história revela que esta é a potência mundial dupla composta da Grã-Bretanha e dos Estados Unidos da América. Antes de 1914, a Grã-Bretanha havia desenvolvido o maior império que o mundo já viu. Durante o século 19, formara também fortes vínculos diplomáticos e comerciais com os Estados Unidos. Estes dois países lutaram lado a lado durante a Primeira e a Segunda Guerras Mundiais, e sua relação especial tem continuado até hoje. Em 1982, o Presidente Reagan, dos Estados Unidos, falou perante o parlamento britânico sobre “a notável amizade entre os nossos dois países”. Mais recentemente, em fevereiro de 1985, a primeira-ministra britânica falou perante as duas câmaras do Congresso dos Estados Unidos e disse: “Que as nossas duas nações irmãs avancem juntas . . . de firme objetivo, compartilhando a fé, . . . ao nos aproximarmos do terceiro milênio da era cristã.”
Por causa da sua grande influência nos assuntos do mundo, a potência mundial dupla, anglo-americana, é representada separadamente no livro de Revelação. Como? Pela segunda das feras do Apocalipse.
A Fera da Terra
“E eu vi outra fera ascender da terra”, escreveu João, “e ela tinha dois chifres semelhantes aos dum cordeiro, mas começou a falar como dragão”. Por afirmar ser cristã e não-agressiva, a potência mundial anglo-americana assume aspecto de cordeiro. Mas na realidade tem agido como dragão. Como? Por colonizar muitas nações e gananciosamente explorar os recursos da terra. Também, “ela faz a terra e os que moram nela adorar a primeira fera, cujo golpe mortal ficou curado. E . . . diz aos que moram na terra que façam uma imagem da fera”. (Apocalipse 13:3, 11-15) Como se cumpriu isso?
O sistema político mundial de Satanás sofreu um “golpe mortal” durante a Primeira Guerra Mundial. Para impedir que isso acontecesse de novo, a Grã-Bretanha e os Estados Unidos promoveram a ‘adoração’ do sistema político. Fizeram isso por induzir as nações a ‘fazer uma imagem da fera’. Como se deu isso?
Perto do fim da Primeira Guerra Mundial, o Presidente Wilson, dos Estados Unidos, iniciou uma cruzada em favor da recém-proposta Liga das Nações. Neste sentido, ele disse aos representantes na Conferência de Paz de Paris, em 1919: “Os representantes dos Estados Unidos apóiam este grande projeto duma Liga das Nações. Achamos que ela é o princípio básico de todo o programa que expressa nosso objetivo . . . nesta guerra . . . Estamos aqui para ver, em breve, que as próprias bases desta guerra sejam arrasadas.”
Depois de o Presidente Wilson ter terminado seu discurso, falou o próprio primeiro-ministro britânico, Lloyd George: “Levanto-me para apoiar esta resolução. Depois do nobre discurso do Presidente dos Estados Unidos, acho desnecessário fazer observações para recomendar esta resolução à Conferência, e eu . . . declaro quão enfaticamente o povo do Império Britânico apóia esta proposta.” 
Mais tarde, naquele mesmo ano, numa reunião em Londres, em apoio da ratificação da Liga das Nações, leu-se uma carta do Rei da Grã-Bretanha: “Ganhamos a guerra. Esta foi uma grande consecução. Mas não basta. Lutamos para ganhar uma paz duradoura, e é nosso supremo dever tomar todas as medidas para assegurá-la. Por isso, nada é mais essencial do que uma forte e duradoura Liga das Nações. . . . Recomendo esta causa a todos os cidadãos do Império, para que, com a ajuda de todos os outros homens de boa vontade, se estabeleça um baluarte e uma segura defesa da paz, para a glória de Deus.”
Em 16 de janeiro de 1920 foi estabelecida a Liga das Nações com 42 nações-membros. Por volta de 1934, abrangia 58 países. A fera da terra, de dois chifres, havia conseguido que o mundo fizesse “uma imagem da fera”. Esta imagem, ou representação do sistema político mundial de Satanás, é representada pela última fera do Apocalipse.
A Fera Cor de Escarlate
Esta é a descrição que João dá a respeito desta última fera: “[Uma] fera cor de escarlate, que estava cheia de nomes blasfemos e que tinha sete cabeças e dez chifres.” A respeito desta fera, João foi informado: “A fera que viste era, mas não é, contudo, está para ascender do abismo, e há de ir para a destruição. . . . É ela mesma também um oitavo rei.” (Revelação 17:3, 8, 11) Fiel a esta descrição, a Liga das Nações procurou agir como potência mundial no cenário do mundo. Entretanto, deixou de impedir a Segunda Guerra Mundial, que começou em 1939. A fera, como que, desapareceu no abismo.
Durante a Segunda Guerra Mundial, a potência mundial anglo-americana esforçou-se arduamente a reviver esta organização internacional. Em 1941, o primeiro-ministro da Grã-Bretanha, Winston Churchill, realizou conferências secretas com o Presidente Franklin Roosevelt, dos Estados Unidos, a bordo dum navio no oceano Atlântico. Eles fizeram uma declaração em conjunto sobre “suas esperanças de um futuro melhor para o mundo” e “o estabelecimento dum sistema mais amplo e permanente de segurança geral”. No ano seguinte, em Washington, D.C., EUA, 26 nações aceitaram esta proposta anglo-americana no que foi chamado de “Declaração das Nações Unidas”. Isto levou à criação da organização das Nações Unidas em 24 de outubro de 1945. A fera cor de escarlate subira do abismo com um novo nome. Atualmente, 159 nações ingressaram nesta organização, a qual, segundo esperam, perpetuará o agora existente sistema de governo político, humano.
Tudo isso, porém, deixa fora de cogitação o Reino messiânico de Deus, estabelecido no céu em 1914. Todo humano na terra tem de escolher entre o governo por Deus e o governo pelo homem. Dentro em breve, a fera cor de escarlate, junto com todos os governos humanos, estará envolvida numa batalha com o Rei empossado por Deus, Jesus Cristo. Com que resultado? “Porque ele é Senhor dos senhores e Rei dos reis, o Cordeiro [Jesus Cristo] os vencerá.” Sim, a fera cor de escarlate, junto com todo o sistema de governo humano, ‘irão para a destruição’. — Apocalipse 17:11, 14; veja também Daniel 2:44.
Quanta bênção será então não ter sido desencaminhado pelo dragão e suas três feras! Os que tiverem mostrado ser súditos leais do Reino de Deus sobreviverão para se tornar parte duma “nova terra”. Deus “enxugará dos seus olhos toda lágrima, e não haverá mais morte, nem haverá mais pranto, nem clamor, nem dor. As coisas anteriores já passaram”. (2 Pedro 3:13; Apocalipse 21:3, 4) Portanto, sujeite-se ao Reino de Deus, o único governo mundial eficiente. Assim também se candidatará a usufruir estas bênçãos eternas.
Fonte: Estudo e pesquisa Bíblica
Por: Jhero 


leia mais...

Apocalipse 9 - será Asteróides, Vulcões e Ovnis?

84 milhões de estrelas 1 O quinto anjo tocou a sua trombeta, e vi uma estrela que do céu caíra sobre a terra; e foi-lhe dada a chave do poço do abismo.
2 E abriu o poço do abismo, e subiu fumaça do poço, como fumaça de uma grande fornalha; e com a fumaça do poço escureceram-se o sol e o ar.
Yellowstone3 Da fumaça saíram gafanhotos sobre a terra; e foi-lhes dado poder, como o que têm os escorpiões da terra.
4 Foi-lhes dito que não fizessem dano à erva da terra, nem a verdura alguma, nem a árvore alguma, mas somente aos homens que não têm na fronte o selo de Deus.
5 Foi-lhes permitido, não que os matassem, mas que por cinco meses os atormentassem. E o seu tormento era semelhante ao tormento do escorpião, quando fere o homem.
6 Naqueles dias os homens buscarão a morte, e de modo algum a acharão; e desejarão morrer, e a morte fugirá deles.
7 A aparência dos gafanhotos era semelhante à de cavalos aparelhados para a guerra; e sobre as suas cabeças havia como que umas coroas semelhantes ao ouro; e os seus rostos eram como rostos de homens.
8 Tinham cabelos como cabelos de mulheres, e os seus dentes eram como os de leões.
9 Tinham couraças como couraças de ferro; e o ruído das suas asas era como o ruído de carros de muitos cavalos que correm ao combate.
10 Tinham caudas com ferrões, semelhantes às caudas dos escorpiões; e nas suas caudas estava o seu poder para fazer dano aos homens por cinco meses.
11 Tinham sobre si como rei o anjo do abismo, cujo nome em hebraico é Abadom e em grego Apoliom.
12 Passado é já um ai; eis que depois disso vêm ainda dois ais.
13 O sexto anjo tocou a sua trombeta; e ouvi uma voz que vinha das quatro pontas do altar de ouro que estava diante de Deus,
14 a qual dizia ao sexto anjo, que tinha a trombeta: Solta os quatro anjos que se acham presos junto do grande rio Eufrates.
15 E foram soltos os quatro anjos que haviam sido preparados para aquela hora e dia e mês e ano, a fim de matarem a terça parte dos homens.
16 O número dos exércitos dos cavaleiros era de duas miríades de miríades; pois ouvi o número deles.
17 E assim vi os cavalos nesta visão: os que sobre eles estavam montados tinham couraças de fogo, e de jacinto, e de enxofre; e as cabeças dos cavalos eram como cabeças de leões; e de suas bocas saíam fogo, fumaça e enxofre.
18 Por estas três pragas foi morta a terça parte dos homens, isto é, pelo fogo, pela fumaça e pelo enxofre, que saíam das suas bocas.
19 Porque o poder dos cavalos estava nas suas bocas e nas suas caudas. Porquanto as suas caudas eram semelhantes a serpentes, e tinham cabeças, e com elas causavam dano.
20 Os outros homens, que não foram mortos por estas pragas, não se arrependeram das obras das suas mãos, para deixarem de adorar aos demônios, e aos ídolos de ouro, de prata, de bronze, de pedra e de madeira, que nem podem ver, nem ouvir, nem andar.
21 Também não se arrependeram dos seus homicídios, nem das suas feitiçarias, nem da sua prostituição, nem dos seus furtos.
Fonte: Biblia
Arranjo: Jhero
leia mais...

A Grande Profecia de Jesus

Jesus
A Bíblia conta-nos que, pouco antes da morte de Jesus, os discípulos dele conversavam sobre os grandes edifícios do templo em Jerusalém; estavam impressionados com o seu tamanho e a sua aparente durabilidade. Mas, Jesus disse: “Não observais todas estas coisas? Deveras, eu vos digo: De modo algum ficará aqui pedra sobre pedra sem ser derrubada.” — Mateus 24:1, 2.

Os discípulos de Jesus devem ter ficado surpresos com as palavras dele, e, mais tarde, chegaram-se a ele para obter mais informações, pedindo: “Dize-nos: Quando sucederão estas coisas e qual será o sinal da tua presença e da terminação do sistema de coisas?” (Mateus 24:3) A resposta de Jesus encontra-se no restante dos capítulos 24 e 25 de Mateus. Suas palavras encontram-se também registradas no capítulo 13 de Marcos e no capítulo 21 de Lucas. Trata-se claramente da mais importante profecia proferida por Jesus enquanto estava na terra.

De fato, os discípulos de Jesus perguntaram a respeito de mais de uma coisa. Primeiro, fizeram a pergunta: “Quando sucederão estas coisas?”, isto é: Quando serão destruídos Jerusalém e seu templo? Além disso, queriam saber que sinal indicaria que começara a presença de Jesus como Rei do Reino celestial de Deus e que o fim deste sistema de coisas era iminente.

Jesus, na sua resposta, tomou ambos os pontos em consideração. Muitas das suas palavras, na realidade, cumpriram-se lá no primeiro século, nos anos que levaram à terrível destruição de Jerusalém em 70 EC. (Mateus 24:4-22) Mas a profecia dele havia de ter um significado ainda maior mais tarde, de fato, em nossos próprios dias. Então, o que disse Jesus? Ele começou com as palavras registradas nos versículos 7 e 8  : “Nação se levantará contra nação e reino contra reino, e haverá escassez de víveres e terremotos num lugar após outro. Todas essas coisas são um princípio das dores de aflição.”

É evidente que a presença de Jesus como Rei celestial seria marcada por grande transtorno na terra. Isto é confirmado por uma profecia paralela encontrada no livro de Revelação (ou Apocalipse): a visão dos quatro cavaleiros do Apocalipse. (Revelação 6:1-8) O primeiro desses cavaleiros retrata o próprio Jesus como Rei vencedor. Os outros cavaleiros com as suas montarias retratam acontecimentos na terra, que marcam o início do reinado de Jesus: guerra, fome e morte prematura por diversos meios. Vemos hoje o cumprimento destas duas profecias?

Veja mais:


Fonte: Estudo e pesquisa Bíblica
Jhero

leia mais...

Apocalipse Bíblico - o que é? saia da ignorância, saiba!




“APOCALIPSE!” O que lhe vem à mente ao ouvir essa palavra? O juízo final? O holocausto? A Terceira Guerra Mundial? O fim do mundo? Se são essas as imagens que lhe assomam, você não é o único a pensar assim. 

A ciência e os meios de comunicação pintam o futuro do homem de um aspecto sombrio. Assim, é de admirar que muitos vinculem o apocalipse à extinção humana através de algum evento catastrófico?

“Apocalipse não é hoje apenas mera alegoria bíblica, mas tornou-se uma possibilidade mui real”, alertou o Secretário-Geral da ONU, Javier Pérez de Cuéllar, no seu discurso de posse. “Nunca antes na experiência humana fomos colocados na beirada estreita entre a catástrofe e a sobrevivência.” 

A que se referia ele? À confrontação nuclear decorrente da intensificação da atual corrida armamentista. Reforçando seu alerta às Nações Unidas, ele declarou que “cerca de 500.000 cientistas em todo o mundo devotam seu conhecimento à pesquisa de arsenais mais sofisticados e mais mortíferos”.

Também outros estão cientes da situação atual. Hans Jonas, professor emérito de filosofia na Nova Escola de Pesquisa Social, nos EUA, diz que seu principal temor é de uma “ameaça apocalíptica decorrente do que a dinâmica da civilização tecnológica pode inintencionalmente fazer”. Ele liga o apocalipse com ‘exaurimento, poluição, desolação do planeta, bem como com a ameaça de destruição súbita pela bomba atômica’.

Similarmente, o historiador Golo Mann declarou: “Não podemos ter outra guerra mundial. Guerra é a palavra errada. Devemos banir a expressão ‘Terceira Guerra Mundial’ e, em vez disso, dizer apocalipse ou holocausto.” — Die Zeit, de Hamburgo, Alemanha, 30 de agosto de 1985.

Sim, o ser humano reconhece que está à beira da auto-destruição. Mas, será ele quem desencadeará o apocalipse? Não, segundo a Bíblia, que diz que “Jeová Deus, o Todo-Poderoso” — não o homem — ‘arruinará os que arruínam a terra’. (Revelação 11:17, 18) Portanto, entender o que é o apocalipse segundo o ponto de vista da Bíblia poderá dar-lhe um conceito diferente, inteiramente novo e mais animador.

O Que É Realmente


O apocalipse é descrito numa carta aos tessalonicenses. Diz ali o apóstolo Paulo: “É justo da parte de Deus pagar de volta tribulação aos que vos causam tribulação, mas, a vós, os que sofreis tribulação, alívio junto conosco, por ocasião da revelação [ou, apocalipse] do Senhor Jesus desde o céu, com os seus anjos poderosos, em fogo chamejante, ao trazer vingança sobre os que não conhecem a Deus e os que não obedecem às boas novas acerca de nosso Senhor Jesus. Estes mesmos serão submetidos à punição judicial da destruição eterna.” — 2 Tessalonicenses 1:6-10.

O apocalipse, portanto, é a revelação de Jesus durante um período de “grande tribulação”. (Mateus 24:21) Segundo o Dicionário Expositivo de Palavras do Novo Testamento, de W. E. Vine, a palavra grega a·po·ká·ly·psis refere-se “ao Senhor Jesus Cristo quando Ele vem para aplicar os julgamentos de Deus”. Em outra parte, a Bíblia refere-se a essa revelação, ou apocalipse, como “a guerra do grande dia de Deus, o Todo-poderoso”, no Armagedom. — Revelação 16:14, 16; 19:11-21.

Concernente ao apocalipse, vimos que a Bíblia fala de “tribulação”, “vingança” e “punição”, é verdade. Não obstante, fala também de “alívio” para os inocentes que sofrem tribulação. 

A Palavra de Deus promete que “apenas mais um pouco, e o iníquo não mais existirá”. (Salmo 37:10) De modo que o apocalipse livrará a humanidade de todas as influências iníquas. Será um momento decisivo para introduzir condições melhores para as pessoas sinceras — não um acontecimento que devam temer.

Portanto, em vez de aniquilação geral, ou extinção, o apocalipse será a solução justa para os problemas da humanidade. Não agrada a você e à sua família a ideia de viver numa nova era — uma era de justiça, paz e bem-estar?

Mas, é iminente o apocalipse bíblico? Em caso positivo, temos meios de saber exatamente quando virá?


Fonte: Estudo e pesquisa Bíblica


Jhero 

leia mais...

21/01/2017

Nova descoberta cientifica confirma que Deus criou o universo e revolta ateus

A surpreendente descoberta anunciada esta semana abalou o mundo da ciência e o mundo da religião.
image
A nova descoberta de vestígios de ondas Gravitacinais diz que os conceitos científicos no campo da cosmologia , a relatividade geral e a física de partículas .
 

 A teoria predominante sobre as origens cósmicas antes da teoria do Big Bang afirmava que o universo sempre existiu sem começo que precisa de uma causa.
 

 No entanto, esta nova evidência sugere fortemente que houve um começo para o nosso universo.
 

 Se o universo realmente teve um começo, pela simples lógica de causa e efeito.
 

 Isso soa com Gênesis 1: 1 . "No princípio Deus criou os céus e a terra"
 

 Portanto, esta última descoberta é uma boa notícia para os crentes, porque acrescenta um suporte Científico ou para a ideia de o universo tem um criador, ou foi causado por algo ou alguém de fora e que não depende dele
 

 o astrônomo ateu que tornou-se agnóstico, Fred Hoyle, que cunhou a famosa expressão "Big bang" fez esta declaração famosa: "Uma interpretação de senso comum dos fatos sugere que um superintelecto brincou com a física, assim como química e biologia, e que não existem forças cegas no valor de falar na natureza.".
 

 Como Hoyle viu, o Big bang não foi uma explosão caótica, mas sim um evento altamente ordenado , que não poderia ter acontecido por acaso.
 

 Sabemos que Genesis nunca teve a intenção de ser um manual científico detalhado , que descreve como Deus criou o universo. A mensagem transmitida é teológica e não científica.
 
 No livro de Jeremias , no Antigo Testamento, o escritor nos diz que Deus "estabeleceu sua aliança com o dia e a noite e as leis do céu e da terra."
 

 Se Deus realmente é o criador então ele se revelará através do que ele criou e a ciência é uma ferramenta que podemos usar para descobrir essas maravilhas.
 

 Escrito por Leslie A. Wickman CNN
FONTE: SEMPREQUESTIONE
leia mais...

Cientistas confirmam que Jesus era casado: ''O evangelho sobre a esposa de Jesus não é uma farsa''

Um fragmento de papiro antigo sugere que Jesus tinha uma esposa, como indicado por um pesquisador da Universidade de Harvard, no 10° Congresso Internacional de Estudos Coptas. Este texto poderia ser parte de um evangelho apócrifo e reabre o debate sobre se Jesus era casado.
JESUS ERA CASADO
Especificamente, o fragmento contém quatro palavras em copta, a língua antiga dos egípcios, cuja tradução seria algo como: "Jesus disse a eles, minha esposa ..." Karen King, autora da pesquisa diz que tanto a língua e colaboradores gramaticais, como o tipo de material e a maneira em que a tinta interagiu com papiro , indicam que o fragmento é autêntico, mas ainda restam testes químicos para confirmar esta afirmação.
 
 O papiro pertencia a um colecionador anônimo que contatou a pesquisadora, ele suspeitava que ele poderia falar sobre o suposto casamento do Messias. "No começo eu pensei que não era verdade, e lhe disse que não estava interessada", disse King. Mas por causa de sua persistência, a cientista concordou em se encontrar com ele e examiná-lo. Pouco se sabe sobre a descoberta do fragmento, mas acredita-se que ele vem do Egito, e, provavelmente, "vem de um antigo monte de lixo, como todos os primeiros restos do Novo Testamento", disse Anne Marie Luijendijk, professora de religião Universidade de Princeton.
 

 O Evangelho da esposa de Jesus  
 Um dos lados do fragmento contém oito linhas incompletas de escrita, enquanto o outro lado esta muito danificado e desbotado, de modo que apenas uma poucas palavras e algumas letras individuais são distinguidas. Nem a fotografia infravermelha e retoque de computador têm conseguido fazer com que o papiro se torne mais legível. "Apesar do seu tamanho minúsculo e mau estado , " disse King, "o fragmento fornece indícios sobre aspectos relacionados com os primeiros cristãos , como a família, o discipulado e do casamento".
 

 Os pesquisadores acreditam que o fragmento encontrado poderia pertencer a um dos evangelhos apócrifos, eles têm chamado de "O Evangelho da Esposa de Jesus". A descoberta reabre o velho debate sobre se Jesus era casado, e se este aprova que as mulheres poderiam seguir seus discípulos e pregar a sua mensagem.
 

 O documento controverso, no entanto, acaba de ser considerado autêntico (o apoio, não o conteúdo) pela prestigiosa Escola de Teologia na Universidade de Harvard, Columbia e MIT, que datam sua escrita entre os séculos IV e IX.
 

 O manuscrito controverso, conhecido como a "evangelho da esposa de Jesus", e que, de acordo com o seu descobridor, fazia parte de um evangelho apócrifo (não é reconhecido pela Igreja Católica como parte das Escrituras), foi analisada por um grupo engenheiros elétricos, químicos e biólogos concluíram por meio do teste do carbono - 14 e análise de infravermelho, que a tinta e papiro tinham o tempo que acreditava-se inicialmente e não é atribuído a uma falsificação moderna.
 

 
Apesar de ter passado as descobertas científicas, a constatação permanece sob suspeita para muitos, para coincidir com o debate aberto pelo Papa Francis sobre o celibato do clero e a possibilidade de que as mulheres podem exercer o sacerdócio.
FONTE: SEMPREQUESTIONE
leia mais...

27/06/2016

Os sinais do tempo do fim - como os encara?

Sinais do tempo do fim

“Haverá sinais no sol, e na lua, e nas estrelas, e na terra angústia de nações. . . . Mas, quando estas coisas principiarem a ocorrer, erguei-vos e levantai as vossas cabeças, porque o vosso livramento está-se aproximando.” — Lucas 21:25, 28.

PERTO do fim do ministério terrestre de Jesus, os líderes religiosos judaicos desafiaram-no a mostrar “um sinal do céu”. Censurando-os, Jesus disse: “Uma geração iníqua e adúltera persiste em buscar um sinal, mas nenhum sinal lhe será dado, exceto o sinal de Jonas.” Isso indica que não conseguiam interpretar os sinais dos tempos, ou então os desconsideravam. — Mateus 16:1, 4.

2 Têm os sinais dos tempos algum significado para nós hoje? Sim, têm! E se agirmos em harmonia com o significado desses sinais, isso poderá salvar-nos duma calamidade maior do que qualquer já causada pelas manifestações mais violentas do mau tempo. Examinemos então esses sinais.
3 As previsões proféticas apresentadas na Bíblia Sagrada fornecem-nos muitas informações sobre os sinais dos tempos. Por exemplo, somos informados de que acontecimentos ocorridos na vida de pessoas no antigo Israel não tinham apenas valor histórico, mas que “estas coisas lhes aconteciam como exemplos e foram escritas como aviso para nós, para quem já chegaram os fins dos sistemas de coisas”. (1 Coríntios 10:11) De modo que temos hoje um aviso antecipado sobre acontecimentos vindouros. Por prestarmos atenção aos acontecimentos significativos da atualidade, poderemos agir de modo a evitar a calamidade com que se confronta a atual “geração iníqua e adúltera” na terra. Assim não seremos iguais àqueles líderes judaicos do primeiro século, sobre os quais Jesus disse que não sabiam interpretar os sinais dos tempos. — Mateus 16:4; Atos 2:40.

4 O Grande Profeta, Jesus Cristo, apresentou um “sinal” composto de coisas que ocorreriam para indicar não somente a terminação do sistema de coisas judaico, no primeiro século, mas também o fim do atual sistema de coisas mundial. Além de avisar sobre “guerras e relatos de guerras”, predisse conflagrações globais em que ‘nação se levantaria contra nação e reino contra reino’. Haveria também “escassez de víveres e terremotos num lugar após outro”. — Mateus 24:3-8.

5 Jesus predisse também o surgimento de muitos falsos profetas, que apareceriam à base do seu nome e desencaminhariam multidões por não darem atenção ao “sinal” que marcaria a presença dele no poder do Reino. Não notariam nenhum  significado no “sinal” composto fornecido por Jesus, conforme registrado em Mateus, capítulos 24 e 25, nem nos outros sinais que identificariam o atual tempo momentoso, tais como a deterioração geral da sociedade humana e o arruinamento da terra. Mas, não temos presenciado tais acontecimentos neste século vinte?

6 O grande surto de dificuldades que sobreveio repentinamente à humanidade a partir do ano de 1914 E.C., com sua Primeira Guerra Mundial, e prosseguindo durante a Segunda Guerra Mundial, não diminuiu até o momento. Isto se dá apesar de os líderes religiosos terem apoiado projetos tais como a extinta Liga das Nações e as atuais Nações Unidas, e argumentarem que o que necessitamos agora são os homens certos nos cargos políticos para garantir o retorno a Deus e a obtenção da bênção dele. Contudo, estamos cercados de evidências de que a qualidade da vida na terra está deteriorando, de que as condições vão de mal a pior, de que o medo, a suspeita, o crime e a violência se tornaram a ordem do dia nestes últimos anos do século vinte.

O QUE OS LÍDERES MUNDIAIS DIZEM

7 Soa-lhe isso um tanto pessimista? Bem, os políticos estão reconhecendo francamente a crise existente. Por exemplo, Thomas J. Watson, ex-embaixador estadunidense na União Soviética, declarou numa entrevista: “Percebo que o mundo está mais perigoso do que jamais antes na sua história.” Também, o sociólogo e economista sueco, Gunnar Myrdal, um otimista durante muito tempo, declarou o seguinte: “Tudo é horrível. . . Críamos em reforma, em educação. Confrontamo-nos agora com um mundo em que é difícil ser otimista.”
8 Não há motivos substanciais para tal falta de otimismo entre destacados líderes do mundo? O enorme armazenamento de apetrechos de guerra agora em andamento nas nações da terra não tem paralelo na história. Isso só já é motivo de alarme. Os custos de tal corrida armamentista aumentaram a espiral inflacionária que ameaça as economias nacionais e eleva os preços de todos os tipos de bens e serviços. Ao descrever a cavalgada dos cavaleiros do apocalipse, que representam a guerra, a fome e a doença, o relato bíblico de Revelação (Apocalipse) previne que os custos dos alimentos aumentariam tão vertiginosamente, que um litro de trigo custaria um denário, ou o salário de um dia. Quão veraz é isso em muitas partes do mundo hoje em dia! Tais acontecimentos ominosos, que afetam o nosso modo de vida, fazem todos parte dos sinais dos tempos. — Revelação 6:3-8.
O QUE JESUS CRISTO PREDISSE
9 Parece que a sabedoria dos sábios da política e da indústria pereceu. (Isaías 29:14) Não há mais nenhum estadista brilhante com uma solução persuasiva para os males do mundo, ou mesmo para os problemas de uma só nação. Antes, teme-se o futuro, assim como Jesus predisse: “Haverá . . . na terra angústia de nações, não sabendo o que fazer por causa do rugido do mar e da sua agitação, os homens ficando desalentados de temor e na expectativa das coisas que vêm sobre a terra habitada, porque os poderes dos céus serão abalados.” — Lucas 21:25, 26.
10 Estando a estocagem de armamentos já fora do controle das nações, o próprio mar literal está cheio de equipamento de guerra na forma de navios e de submarinos capazes de levar ogivas nucleares mortíferas, as quais podem eliminar milhões de pessoas com um único míssil. Deveras o mar está rugindo e ‘agitado’. E que dizer do céu e do espaço acima de nós? Em cumprimento das palavras de Jesus, ‘os poderes dos céus foram abalados’ no sentido de que aviões de guerra, foguetes, mísseis balísticos e coisas assim podem atravessar velozmente o espaço, cruzar oceanos e continentes para atingir objetivos inimigos.
11 Os órgãos noticiosos testificam vigorosamente o cumprimento da profecia, de que as nações ‘não sabem o que fazer’ para resolver seus problemas. Por exemplo, note os seguintes comentários dum relatório de 300 páginas apresentado às Nações Unidas por uma comissão chefiada pelo ex-chanceler da Alemanha Ocidental, Willy Brandt, conforme publicado no jornal Star de Toronto, Canadá, de 31 de maio de 1980: “Em essência, [o relatório] diz que a economia do mundo está entrando em colapso e que a continuação das tendências atuais levará ao caos. . . . Fechaduras duplas nas portas, guardas armados e o medo dum seqüestro e assassinato são as novas recompensas da realização quase em toda a parte.” E Brandt diz na introdução pessoal do relatório: “Muitas vezes se pensa na guerra em termos de conflito militar ou mesmo de aniquilação. Mas há uma crescente percepção de que um perigo igual pode ser o caos — em resultado da fome em massa, da calamidade econômica, de catástrofes ambientais e do terrorismo.”
12 Então, onde estão o pensamento e o planejamento esclarecidos que deviam originar-se dos líderes políticos e industriais nestes tempos críticos? Como indicou o antigo profeta de Deus a respeito dos líderes no sétimo século A.E.C., assim se dá em nossos dias: “Eis que rejeitaram a própria palavra de Jeová, e que sabedoria é que eles têm?” (Jeremias 8:9) Muito pouca!
13 Eles devem saber que a crescente população e os decrescentes suprimentos alimentícios significam FOME, mas não vemos nenhuma ação positiva, nenhum plano concreto em escala global para resolver essa situação que já é grave. O relatório, acima mencionado, para as Nações Unidas prossegue falando sobre o espantoso aumento da população do mundo — um acréscimo de mais de um milhão cada cinco dias, com o aumento calculado de perto de dois bilhões nas próximas duas décadas. No ínterim, a demanda de alimentos aumenta proporcionalmente, embora haja sérias dúvidas sobre a capacidade dos países produtores de cereais de poderem suprir as vastas quantidades agora necessárias. “Haverá escassez de víveres . . . num lugar após outro”, foi o que Jesus predisse para estes dias finais do atual sistema mundial. — Mateus 24:7.
14 Considere também a escalada do crime violento em todas as nações industrializadas. Jesus também profetizou esse “aumento do que é contra a lei”. (Mateus 24:12) Devemos honestamente acreditar que a solução é dar a cada cidadão uma arma e treiná-lo para usá-la? Contudo, é essa evidentemente a idéia de muitos dos líderes do mundo, pois insistem em acumular munições de guerra na esperança de conseguir a paz. No ínterim, calcula-se que centenas de milhões de nossos semelhantes passam fome e estão subnutridos, ao passo que outros milhões são vítimas da malária e da oncocercose — males que poderiam ser aliviados com apenas uma fração do dinheiro gasto com armamentos. Isso tudo faz parte dos sinais dos tempos preditos por Jesus. — Lucas 21:10, 11
TEMPO PARA ‘COMEÇAR A FUGIR’
15 O maior Profeta de Deus, Jesus Cristo, indicou também outros aspectos pormenorizados do sinal composto que deviam ser acatados por aqueles que escapariam da destruição. Quais são? Ele disse: “Portanto, quando avistardes a coisa repugnante que causa desolação, conforme falado por intermédio de Daniel, o profeta, estar em pé num lugar santo, (que o leitor use de discernimento,) então, os que estiverem na Judéia comecem a fugir para os montes. Pois então haverá grande tribulação, tal como nunca ocorreu desde o princípio do mundo até agora, não, nem tampouco ocorrerá de novo.” — Mateus 24:3, 15, 16, 21
16 Essa profecia teve um cumprimento preliminar quando os exércitos romanos invadiram a Judéia e Jerusalém em 66 E.C., retornando para desolar o sistema judaico em 70 E.C. Entretanto, as palavras de Jesus contêm uma mensagem ainda mais ominosa para todos nós que vivemos na década de 80. Como sabemos isso?
17 A destruição de Jerusalém em 70 E.C. não foi a maior da história. Houve calamidades muito maiores, tanto antes como desde então, envolvendo maior sofrimento e perda de vidas. Mas esta profecia fala sobre uma tribulação sem paralelo. Trata-se, de fato, da última e culminante tribulação, porque ‘não ocorrerá de novo’. Então, qual é a “coisa repugnante”? Diz-se-nos que devemos observá-la “estar em pé num lugar santo”. Vemos o cumprimento moderno disso?
18 Nos tempos modernos uma “coisa repugnante” que se opõe ao reino de Deus, que é muito mais poderosa do que a Roma imperial, está em pé num “lugar santo”. Trata-se da O.N.U., atualmente constituída de 157 nações, e que inclui as superpotências que possuem suficientes armamentos nucleares para extinguir várias vezes a humanidade da face da terra. Esta sucessora da Liga das Nações é “repugnante” para Jeová Deus, Jesus Cristo e seus discípulos, porque ousa tomar o lugar do reino de Deus, que está nas mãos do seu empossado Rei Jesus Cristo, nos céus. (Mateus 5:35; Marcos 13:14) Mas, a cristandade também alega possuir um “lugar santo”. Trata-se de seu campo de operação, do qual membros radicais da O.N.U. já se apoderaram em grandes porções da terra. Em breve, os sistemas religiosos da cristandade e quaisquer afirmações que faça quanto a ser um “lugar santo” serão desolados de modo tão completo quanto o sistema judaico anticristão em 70 E.C. Conforme mostra Revelação 17:5, 16, 17, todas as partes da religião falsa em todo o mundo — “Babilônia, a Grande” — serão devastadas ao mesmo tempo, antes da guerra no Armagedom, o desfecho da “grande tribulação”. — Revelação 16:14, 16; 19:11-21.
19 Jesus predisse também que, em meio à piora das condições do mundo, uma concentrada e global campanha de pregação seria promovida por seus seguidores fiéis. Lembre-se das palavras dele: “E estas boas novas do reino serão pregadas em toda a terra habitada, em testemunho a todas as nações; e então virá o fim.” (Mateus 24:14)
Em breve o reino, ou governo, exercido por Cristo desde o céu, substituirá completamente todos os governos humanos imperfeitos e egoístas? Sua atividade não só tem divulgado boas novas, por salientar o significado dos sinais dos tempos, mas tem servido também como aviso divino sobre o vindouro dia de vingança de Deus. — Isaías 61:2.
Jhero
leia mais...

28/11/2015

O REAL “GRANDE GRIMÓRIO”, CUIDADO COM COISAS CONSAGRADAS A DEMÔNIOS






Nota: Não somente e verdade, como não e só este livro que e perigoso, qualquer coisa consagrada a Demônios pode trazer desgraça, pesquisem sobre simbologia, e se vc se Ama e ama a sua família fique bem longe destas coisas, e verifique se em sua casa já não tem algo sutilmente introduzido.

(Símbolos, Perfumes com nomes ocultista, Duende, figas, pé de coelho, Filmes, Musicas que e muito usado, fitinhas de pulso seja lá de onde for, pedras, camisetas, colar, guias, e procure principalmente no que mais te agrada pois e ai que costumam estar, eu por exemplo achei um perfume em minha casa, e dei fim a ele.) cuidado com ate mesmo uma simples bala( Confeito,Doce) tudo pode ser consagrado a Demônios portanto procure observar a fonte das coisa, se e impossível identificar, pegue e posteriormente jogue fora, destrua! (Digo com conhecimento)

Leia sobre símbolos :
Lembre: Tudo você pode, mas nem tudo lhe convém!

Segundo estudiosos do tema, dentre os livros da literatura mística, O Grande Grimório é um livro de magia negra mais poderoso de todos.

Alegam que o mesmo foi escrito em 1522, embora, na verdade essa data é condizente apenas a cópia mais antiga achada do livro e não com a data em que o livro foi escrito.

Ele era objeto de uma seita satanista e era transmitido de geração para geração para o seu líder. Hoje o Grande Grimório pode ser encontrando em qualquer livraria especializada e até em .pdf o mesmo é vendido.

Porém, o que é relatado é que o Grande Grimório nunca chegou a público. Reza a lenda ( e é bom que reze mesmo) que ele foi capturado pela Igreja no inicio do século 19 e permanece na Biblioteca do Vaticano até hoje, isso porque, após inúmeras tentativas, não foi possível destruí-lo.
Ok, mas que Diabos esse livro tem de tão perigoso?
Bem, é que o texto tem um propósito sinistro: a convocação de Lúcifer ou Rofocale Lucifuge (o dito governante do Inferno), a fim de fazer um pacto com o ele.
Ele também contém toda a hierarquia maior de espíritos infernais. Manuscritos possivelmente escritos entre 1620 ~ 1650, falavam que nem os líderes satanistas tinham coragem de usá-lo pois sabiam que seriam “vencidos”.

Em outra palavras, de nada adiantaria invocar o Chefão do Inferno se o resultado seria sempre um preço muito cruel a pagar, pois segundo consta a lenda, Lúcifer é um dos anjos caídos mais inteligentes, talvez o mais, capaz de ludibriar até o mais sábio dos homens.

Então que utilidade tinha o Grande Grimório para qualquer um? O livro era tão cobiçado, não pelo máximo que poderia fazer e sim pelo mínimo.

Além da convocação de demônios, ele contém um grande número de feitiços, fórmulas e segredos, que por si, são os piores que alguém pode encontrar.

Desde controle da mente até invisibilidade, o livro apresentaria uma série de poderes místico, entretanto, todos feitiços e segredos só eram revelados mediante a um grande preço.

Enfim, ele causava tanto temor que deve ser por isso que nenhum dos membros da tal seita tentou reivindicá-lo quando a supostamente a Igreja tomou posse do mesmo.

E aí, você teria coragem de lê-lo?

This work is licensed under a Creative Commons Attribution By license.
leia mais...

06/12/2014

Provando as Adulterações da Bíblia (Documentario interessante)

O Testamento de Salomão

Provando as Adulterações da Bíblia

Neste vídeo está o conteúdo do trabalho de Rivanildo Menezes "Provando as Adulterações da Bíblia" indo da introdução à parte 20.

 

 

Fonte:Youtube

leia mais...

02/12/2014

As TJs e a questão da Trindade

As TJs e a questão da Trindade

As Testemunhas de Jeová negam a doutrina da Trindade. Elas afirmam que Deus, o Pai, é o Todo-poderoso; Jesus é um deus poderoso; e que o Espírito Santo é uma força ativa.

“Quem é Deus? O Ser Supremo, cujo nome distintivo é Jeová. Em contraste com o verdadeiro Deus, há muitos deuses. Alguns desses fizeram de si mesmos deuses; outros foram feitos objetos de adoração pelos que o servem” (Raciocínios à Base das Escrituras, p.120).

“As Testemunhas de Jeová creem que Jeová é o inigualável Soberano Senhor do Universo” (O Homem em Busca de Deus, p. 356). “Sem dúvida, a doutrina da Trindade confundiu e diluiu o entendimento das pessoas a respeito da verdadeira posição de Deus. Ela impede que as pessoas conheçam com exatidão o Soberano Universal, Jeová, Deus” (Deve-se Crer na Trindade? Brochura, p. 30). “A Trindade não é ensinada na Bíblia” (Poderá Viver para Sempre no Paraíso na Terra, p. 40).

“Não cremos que Jesus seja igual ao Pai, como ensina a doutrina da Trindade. Em vez disso, cremos que ele foi criado por Deus e Lhe está subordinado” (Em que Creem as Testemunhas de Jeová, p. 2-3).

“PERGUNTA: Jesus é na verdade Deus? RESPOSTA: Não. Jesus nunca se considerou igual a Deus. Pelo contrário, ele repetidas vezes mostrou que era submisso a Jeová. Por exemplo, referiu-se a Jeová como ‘meu Deus’ e “o único Deus verdadeiro” (Mateus 27:46; João 17:3). Somente alguém subordinado a outra pessoa usaria expressões assim para se referir a ela. Um funcionário que se refere a seu empregador como “meu chefe” ou “o responsável” está assumindo claramente uma posição inferior. Jesus também mostrou que ele e Deus não são a mesma pessoa. Certa vez, ele disse a opositores que desafiaram sua autoridade: “Na vossa própria Lei está escrito: ‘O testemunho de dois homens é verdadeiro.’ Eu sou um que dá testemunho de mim mesmo, e o Pai que me enviou dá testemunho de mim” (João 8:17-18). Sem dúvida, Jesus e Jeová são duas pessoas distintas. Se não, como seriam considerados duas testemunhas? (A Sentinela, 01/04/2012, p. 4-7).

“O ‘Espírito Santo’, a suposta terceira pessoa da Trindade, não se trata duma pessoa, mas da força ativa de Deus. João, o batizador, disse que Jesus batizaria com o espírito santo, assim como João batizava em água. Portanto, assim como a água não é uma pessoa, tampouco o espírito santo é pessoa” (Poderá Viver para Sempre no Paraíso na Terra, p. 40).

O que a Bíblia diz acerca da Trindade – A doutrina da Trindade está implícita no Velho Testamento (Gn. 1.26; 3.22 e 11.7) e revelada no Novo Testamento (Mt. 3.16-17; 28.19 e 2Co. 13.13). A Trindade significa existirem três pessoas num único Deus verdadeiro: Pai, Filho e Espírito Santo. Cada uma das pessoas é distinta uma da outra em suas características pessoais, mas elas são iguais em poder, glória e natureza.

Existe um só Deus:

a) O Senhor nosso Deus é um só Senhor (Dt. 6.4);
b) Não existe outro Deus (Dt. 32.39);
c) Nenhum Deus foi formado antes ou depois dele (Is. 43.10);
d) Não existe outro Deus (Is. 44.6).

Cada uma dessas pessoas é chamada Deus:

a) O Pai (Ef. 4.6);
b) O Filho (Jo. 1.1, Jo. 20.28; Tt. 2.13; Hb. 1.8; 1Jo. 5.20);
c) O Espírito Santo (At. 5.3-4).

Cada uma dessas pessoas é descrita como Deus:

a) O Pai (Is. 44.24);
b) O Filho (Jo. 1.1-3);
c) O Espírito Santo (Jó 26.13 e 33.4).

Cada uma dessas Pessoas é descrita como eterna:

a) O Pai (Sl. 93.2);
b) O Filho (Mq. 5.2; Hb. 1.8);
c) O Espírito Santo (Hb. 9.14).

Cada uma dessas Pessoas é descrita como inspirada

a) O Pai (2Tm. 3.16);
b) O Filho (1Pe. 1.10-11 );
c) O Espírito Santo (2Pe. 1.21).

Cada uma dessas Pessoas é descrita como onipresente:

a) O Pai (Jr. 23.24);
b) O Filho (Mt. 28.20);
c) O Espírito Santo (Sl. 139.7-10).

Cada uma dessas Pessoas é descrita como onisciente

a) O Pai (Jr. 17.10);
b) O Filho (Jo. 2.24);
c) O Espírito Santo (1Co. 2.10-12).

Cada uma dessas Pessoas é descrita como onipotente

a) O Pai (Mt. 19.26);
b) O Filho (Hb. 1.3);
c) O Espírito Santo (Rm. 15.19).

Cada uma dessas Pessoas é descrita como santo

a) O Pai (Hc. 1.12);
b) O Filho (At. 3.14);
c) O Espírito Santo (Jo. 14.26).

Cada uma dessas Pessoas é descrita como ressuscitador

a) O Pai (1Ts. 1.10);
b) O Filho (Jo. 2.19-21);
c) O Espírito Santo (Rm. 8.11).

Cada uma dessas Pessoas é descrita como a verdade

a) O Pai (1Ts. 1.9);
b) O Filho (Jo. 14.6);
c) O Espírito Santo (Jo. 14.17).

Cada uma dessas Pessoas é descrita como dirigindo os crentes

a) O Pai (Dt. 32.12);
b) O Filho (1Co. 10.1-4);
c) O Espírito Santo (Is. 63.11-14).

Cada uma dessas Pessoas atrai o povo para si

a) O Pai (Jo. 6.44);
b) O Filho (Jo. 12.32);
c) O Espírito Santo (1Co. 12.3).

Cada uma dessas Pessoas é descrita como preservando a salvação do cristão

a) O Pai (Jo. 10.29);
b) O Filho (Jo. 10.28);
c) O Espírito Santo (Ef. 4.30).

Cada uma dessas Pessoas é descrita como santificando o cristão

a) O Pai (Jo. 10.29);
b) O Filho (Hb. 2.11);
c) O Espírito Santo (1Co. 6.11).

A Bíblia apresenta Jesus como o Jeová do Velho Testamento:

a) “Preparai o caminho de Jeová” (Is. 40.3 – TNM);
b) “Preparai o caminho de Jeová (Mt. 3.1-3 – TNM);

Com relação à adoração:

a) Jeová – “todo joelho se dobrará” (Is. 45.23);
b) Jesus – “ao nome de Jesus se dobrará todo joelho” (Fp. 2.10).

Com relação ao título:

a) Jeová – “Eu Sou” ehyeh em hebraico é Jeová (Ex. 3.14);
b) Jesus – “Ego Eimi” no grego é Jesus (Jo. 8.58 e 18.5).

Quem está vindo? – Quem é o Primeiro e o Último?

a) Jeová é o primeiro e o último (Is. 44.6);
b) Jesus é o que vem e é o Alfa e o Ômega (Ap. 22.12-16).

 

Fonte:http://www.cacp.org.br/as-tjs-e-a-questao-da-trindade/

leia mais...

CENTRAL NEWS

LEIA TAMBÉM

 
Copyright © 2016 CENTRAL NOTICIAS • All Rights Reserved.
Template Design by ORIGINAISOADM • Powered by Blogger
back to top